Os problemas da baixa autoestima e as respostas de Deus

Impressiona como os consultórios de tratamento psicológico e terapêutico andam lotados!
Alguns estão descontentes com seu próprio corpo, outros com a cor da pele, cabelo, olhos, outros com problemas sentimentais, não conseguem mais nem seu lugar no seio da sociedade. Alguns perderam suas raízes familiares e assim, vai a lista infindável de problemas pelos quais a sociedade hodierna enfrenta.

A igreja como parte desta sociedade não está imune a isto, nem tampouco deve ficar alheia com seus olhos vendados a tantos problemas (Jo 10.10).
É imprescindível, portanto, se o líder assim desejar ser bem sucedido em seu pastoreio seguir incondicionalmente as Sagradas Escrituras. Talvez, você tenha pensado que há um grande absurdo quando se instiga um líder a seguir a Bíblia, mas, o faço com convicção de que muitos estão tão divorciados das Letras Santas que é mister este aviso (por favor, não me compreenda mal). Afinal, o Evangelho não é muleta, tampouco remédio: o Evangelho é CURA!

Notou como as pessoas estão desacreditadas de si mesmas? Tem observado como muitos acham que são vítimas do mundo e que todos estão contra si?  É difícil de encontrar pessoas infrutíferas sem objetivos de realização emocional, pessoal e profissional? Será que encontraremos pessoas que ignoram as suas aptidões sociais na solução de conflitos e por consequência ou são extremamente submissas ou excessivamente agressivas?

Quantos há que por medo de não serem aprovados social e profissionalmente, não tem consciência de seu valor? E tantos outros que as circunstâncias ditam as regras de sua vida diária, aliás, pior ainda, seu humor depende do que dizem a seu respeito: se falam bem, ficam felizes, se falam mal se sentem miseráveis?

Para piorar, como anteriormente dito, muitos pregoeiros apresentam um evangelho com eficácia temporal, um evangelho baseado na troca (geralmente bens materiais por bens espirituais). Além, é claro, de ofertarem ao ouvinte um amuleto que posto atrás da porta, ou pendurado ao pescoço, ou colocado em lugar secreto… resolverá seus problemas definitivamente. Ledo engano! Mais uma vez repetimos: o Evangelho da Graça não é muleta, é cura.

Deus nunca desistiu do homem. Desde o gênesis é nos apresentando o Deus que se interessa e faz tudo para que o ser humano esteja próximo das coisas celestiais e de seu Criador (Gn 3.21; 1Rs 19.9).

Um dos fatores que acarretam frustrações, desânimos, depressões e, claro, baixa autoestima é a prevalência do ser humano em não saber o seu devido lugar. Parece absurdo, mais é isso.

Adão foi expulso do Éden porque queria ser igual a Deus (Gn 3.5),  Herodes foi comido de bicho, porque tomou a glória de Deus para si (At 12.23).

O ser humano precisa entender que é peculiaridade de sua natureza o sono, a sede, o cansaço assim como o sucesso, o fracasso, a vitória, a derrota, a saúde, a enfermidade, a pobreza, a riqueza, nos relacionamentos a amizade (inimizade) e, por fim, a morte.

Reconhecendo nossas limitações seremos mais felizes e teremos paz genuína (Jo 14.27), pois sendo assim, depositaremos nossa confiança no Senhor (Jo 16.33; Sl 20.7).

A Bíblia nos assevera que Elias eram um homem sujeito aos mesmos sentimentos que nós (Tg 5.17a), isto implica que ele tinha medo, dor, dúvidas, raiva… Contudo, ele ousava depositar sua confiança em Deus (Tg 5.17b), vide também Atos 14.15.

Passamos a um belo exemplo de homem que possuía todas as qualificações de um fracassado e Deus o tornou um caso de sucesso. Refiro-me ao maior legislador de Israel.

Quando Deus o encontrou no Horebe, Moisés era apenas uma sombra daquele que era uma vez príncipe no Egito. Quarenta anos havia se passado.

Após as devidas considerações apresentadas pelo Senhor e as razões pelas quais ali se manifestava, Moisés recebe a grande chamada. Quiçá muitos hoje desejam receber uma chamada como esta apresentada neste texto sagrado (vide Ex. 3.1 a 4.17).

Mas, o que Deus contempla? Uma sombra humana!

Vejamos as lições de um fracassado:

Primeira lição: “não sou ninguém” (Ex. 3.11). Ora, parece até um disparate, afinal, Moisés havia sido instruído em toda a ciência do Egito (At 7.22a). Não havia lógica para esta expressão, nota-se um fracasso total. Porém, Deus anima-o e promete Sua presença e a certeza que no retorno O adoraria naquele lugar (Ex. 3.12; Js. 1.5; Is. 43.5).

Segunda lição: “não sei o teu nome” (Ex. 3.13). Isto parece um absurdo! O nome Jeová já era apresentado e comum naquela época. Por outro lado, era de difícil significado, somente pela fé haveria uma compreensão do nome divino. E Deus não faz questão de apresentar-se como um dicionarista: Ele reafirma seu Santo Nome “EU SOU O QUE SOU”, Ex. 3.14. Em outras palavras Deus estava afirmando a Moisés “EU SOU O AUTO EXISTENTE. NÃO DEPENDO DE NINGUÉM PARA QUALQUER REALIZAÇÃO OU SOBREVIVÊNCIA!” (Hb 6.13). Aleluia! Jesus se apresentou como o Pão da Vida (Jo 6.35), a Luz do mundo (8.12) e Oliveira (15.1).

Terceira lição: “não crerão em mim” (Ex. 4.1). Veja só: estava mais preocupado com sua reputação que com a reputação do Senhor. Parece inacreditável que após todas as considerações feitas pelo Senhor, Moisés ainda apresentasse esse tipo de preocupação. Imagino a frustração de Deus. Mais o Senhor não desiste. Neste momento, Moisés precisava muito mais que palavras, precisa de sinais. E o Senhor concede estes sinais: bordão se torna serpente que se torna bordão, pele sã que se torna leprosa que se torna sã (Ex. 4.3-7). Deus, realmente é maravilhoso.

Quarta lição: “não sou orador eloquenteEx. 4.10; 6.12. No fundo Moisés estava se contradizendo. Isto é notório pela história (leia At 7.22). Meu amigo leitor creio que já esteja indignado com Moisés, aliás, uma conversa com qualquer um que tenha tido um diálogo com um fracassado como Moisés já teria desistido. Mas, Deus responde: “Eu serei com a tua boca e te ensinareiEx. 4.12. Observe bem que não havia credibilidade nenhuma por parte de Moisés: nem em si mesmo, nem no Senhor. E aqui o Senhor revela algo que muitos apregoam como uma maldição e que isto não é para o ser humano , quem entende Deus?

Quinta lição: “qualquer outra pessoa pode fazer melhorEx. 4.13. Nesta altura da conversa, Deus perde a paciência com Moisés e “acende Sua ira”. Então, o Senhor providencia um porta-voz para que fale por meio deste, a saber, Arão (Ex. 4.14-17)

Como o ser humano é tendente a polarização: com quarenta anos Moisés era um corcel (cavalo selvagem) achando que estava no controle terminou sendo assassino. Com oitenta anos virou um jumento empacado! São extremidades perigosas.

No entanto, o que nos interessa é saber que Deus entende e procura de todas as maneiras e meios que lhe são possíveis (Lc 1.37) estabelecer um vínculo que traga sucesso, paz e segurança nEle.

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Rm 11.36

Que Deus em Cristo nos abençoe continuamente.

2 ideias sobre “Os problemas da baixa autoestima e as respostas de Deus

  1. Que chacoalhão que eu levei, mas graças a DEUS, pois ELE corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho(hb 12.6), obrigada pastor Davi, que DEUS continue usando sua vida, abraços a todos(sodadiiiiiiii)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *